O SINDICATO

HISTÓRICO

Com a necessidade da criação de um órgão com representatividade sindical para defender, coordenar e proteger interesses individuais e coletivos da atividade profissional dos policiais federais e servidores administrativos surge, em 22 de agosto de 1989, o Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Departamento de Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPOLF/ SP).
Desde então, policiais e servidores do Estado contam com um órgão competente e coeso nas reivindicações sociais e trabalhistas, que tem realizado, desde sua fundação, ações que permitem a melhoria contínua das condições de trabalho no Departamento de Polícia Federal, colaborando com o fortalecimento da instituição e realizando as transformações que a categoria profissional deseja e a sociedade necessita.
O SINDPOLF é o único e legítimo representante no Estado de São Paulo de toda a Carreira Policial Federal, composta pelos cargos de Agente, Escrivão, Papiloscopista, Delegado e Perito, bem como pelos servidores administrativos do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal.

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Receita Federal do Brasil deflagraram na manhã de hoje (11/12) a operação Baixo Augusta, para apurar a existência de um esquema de propina para acelerar a liberação de créditos tributários junto à Receita Federal.

Em nota oficial publicada na tarde de hoje (08/11), o Ministério da Justiça e Segurança Pública informa que o Delegado Fernando Segóvia foi nomeado diretor-geral do Departamento de Polícia Federal. Leia, abaixo, o texto na íntegra.

"O Ministério da Justiça e Segurança Pública comunica que o senhor Presidente da República escolheu nomear o Delegado Fernando Segóvia como novo diretor-geral do Departamento de Polícia Federal.

Nesta mesma oportunidade, o ministro da Justiça expressa ao Delegado Leandro Daiello seu agradecimento pessoal e institucional pela competente e admirável administração da Polícia Federal nos últimos seis anos e dez meses.

O Delegado Fernando Segóvia é advogado formado pela Universidade de Brasília, com experiência de 22 anos na carreira. Foi superintendente regional da PF no Maranhão e adido policial na República da África do Sul, tendo exercido parcela importante de sua carreira em diferentes funções de inteligência nas fronteiras do Brasil." 

A diretoria da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) marcou presença na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, ontem (30/10), a fim de esclarecer aos parlamentares e à sociedade as reais intenções da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, assim como seus efeitos para a Polícia Federal e para as operações de combate à corrupção, sob responsabilidade do órgão.

A Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados analisa nesta segunda-feira (30/10) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 412/2009, que prevê a falsa autonomia da Polícia Federal. O projeto é falacioso, uma vez que a PF já possui autonomia suficiente para fomentar as investigações de responsabilidade da instituição.