O SINDICATO

HISTÓRICO

Com a necessidade da criação de um órgão com representatividade sindical para defender, coordenar e proteger interesses individuais e coletivos da atividade profissional dos policiais federais e servidores administrativos surge, em 22 de agosto de 1989, o Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Departamento de Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPOLF/ SP).
Desde então, policiais e servidores do Estado contam com um órgão competente e coeso nas reivindicações sociais e trabalhistas, que tem realizado, desde sua fundação, ações que permitem a melhoria contínua das condições de trabalho no Departamento de Polícia Federal, colaborando com o fortalecimento da instituição e realizando as transformações que a categoria profissional deseja e a sociedade necessita.
O SINDPOLF é o único e legítimo representante no Estado de São Paulo de toda a Carreira Policial Federal, composta pelos cargos de Agente, Escrivão, Papiloscopista, Delegado e Perito, bem como pelos servidores administrativos do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal.

A PF prendeu em ações distintas, entre a noite do sábado (23/08) e manhã de hoje (25/08), no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, cinco passageiros de voos internacionais com drogas nas bagagens.          

No sábado (23) foram presos um brasileiro e um polonês. Com o brasileiro,os servidores da Receita Federal, que fiscalizavam as bagagens despachadas para voo com destino a Paris (França), identificaram, por meio do aparelho de raio-x, a existência de algo suspeito no interior de uma mala e acionaram os policiais federais. O proprietário da mala, um homem de 25 anos de idade, foi localizado no interior da aeronave e conduzido à delegacia para acompanhar a realização de perícia em sua bagagem. Dentro de um fundo falso foi localizado um volume contendo quase 3 Kg de cocaína.  

Na outra ação, ocorrida momentos mais tarde, policiais federais entrevistaram um polonês e desconfiaram de suas respostas. O homem foi retirado da fila do check-in e conduzido ao setor de raio-x. Dentro de uma de suas malas havia substância orgânica distribuída em vários objetos. Na delegacia da PF, os peritos federais encontraram 2 Kg de cocaína escondidos dentro de fontes de equipamentos eletrônicos e em desodorantes. 

Na manhã de ontem (24/09), servidores da Receita Federal acionaram os policiais federais em outros dois momentos. Um brasileiro, de 45 anos,  que desembarcou de voo proveniente de Madri, na Espanha, trazia um volume contendo substância orgânica oculta em um fundo falso de sua mala. Na delegacia da PF a substância foi identificada, por meio dos exames periciais preliminares, como metanfetamina, cujo peso bruto somou 3 Kg. A outra prisão foi de um venezuelano, de 29 anos, que desembarcou no Brasil com o objetivo de realizar conexão para Duala, na República dos Camarões. O homem levava consigo 6 volumes contendo quase 6 Kg de cocaína. 

A última prisão foi realizada na manhã de hoje: uma brasileira, de 25 anos, vindo de Barcelona (Espanha), foi abordada nos canais de inspeção por servidores da Receita Federal para verificação das bagagens. Dentro de uma das malas ficou constatada a existência de substância orgânica nas estruturas. A mulher foi conduzida à delegacia da Polícia Federal para que, na presença de testemunhas, fossem realizados os exames periciais.  

Enquanto aguardava a realização dos exames, a mulher tentou se evadir. Na tentativa de fuga, antes de ser alcançada na entrada da delegacia pelos policiais federais, ela derrubou uma porta de vidro. E ao tentar se desvencilhar, a mulher feriu  dos policiais.  

Os exames periciais preliminares no material que estava oculto na mala da passageira foram positivos para metanfetamina, que somou mais de 3Kg. A mulher disse que tentou se evadir porque desconhecia a existência da droga no interior da mala, que teria sido emprestada por outra pessoa. Os presos serão conduzidos aos presídios estaduais,  onde permanecerão à disposição da Justiça.

Fonte: Comunicação Social/ Delegacia Especial no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos/ Superintendência da Polícia Federal em São Paulo