O SINDICATO

HISTÓRICO

Com a necessidade da criação de um órgão com representatividade sindical para defender, coordenar e proteger interesses individuais e coletivos da atividade profissional dos policiais federais e servidores administrativos surge, em 22 de agosto de 1989, o Sindicato dos Servidores Públicos Civis do Departamento de Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPOLF/ SP).
Desde então, policiais e servidores do Estado contam com um órgão competente e coeso nas reivindicações sociais e trabalhistas, que tem realizado, desde sua fundação, ações que permitem a melhoria contínua das condições de trabalho no Departamento de Polícia Federal, colaborando com o fortalecimento da instituição e realizando as transformações que a categoria profissional deseja e a sociedade necessita.
O SINDPOLF é o único e legítimo representante no Estado de São Paulo de toda a Carreira Policial Federal, composta pelos cargos de Agente, Escrivão, Papiloscopista, Delegado e Perito, bem como pelos servidores administrativos do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal.

O setor jurídico tem sido forte aliado do sindicalizado. A Capano, Passafaro Advogados Associados, que administra o departamento jurídico do SINDPOLF/SP tem escritórios com advogados em todas as cidades onde há representação do sindicato. 

O atendimento, totalmente isento de honorários advocatícios, é extensivo aos dependentes e abrange, além dos processos administrativos e criminais, as demais áreas do Direito, como civil, família, trabalhista, etc. Até o ano passado o departamento jurídico do SINDPOLF/SP realizou 9.271 atendimentos com 1023 demandas/defesas (dados de outubro/2016).

Destaque para a ação judicial visando afastar a aplicação do FUNPRESP aos Policiais sindicalizados que ingressaram na PF do ano de 2013 em diante, que se encontra na conclusão para sentença desde janeiro/2016, e a recente sentença judicial que garante aos sindicalizados receberem Auxílio-Transporte, mesmo utilizando veículo próprio.

(Foto: Vê Garafulic) Luiz Francisco Corrêa de Castro (coordenador do departamento jurídico do SINDPOLF/SP), Gislene Gerônimo (sócia do escritório Capano. Passafaro Advogados Associados), Kelmann Oliveira (Diretor Jurídico do SINDPOLF/SP) e Fernando Capano (também sócio do escritório Capano, Passafaro Advogados Associados, que é responsável pelo Departamento Jurídico do SINDPOLF/SP)
Leia também:
Jurídico do SINDPOLF/SP ganha ação para sindicalizado acusado de falsidade documental